Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Explorando a Roménia (parte 2)

por Nuno França, em 21.02.17

Olá a todos!

No seguimento meu primeiro post a falar sobre a minha viagem à Roménia (aqui), continuo com mais um, a falar sobre outros locais.

Uma das regiões que me fascinou imenso na Roménia foi a região da Transilvânia, mais em concreto, a zona de Maramures, uma zona rural, com muitas planícies e também montanhas, com muito verde.

 

Por toda a região, senti-me como se estivesse em casa (nos Açores, ilha de São Miguel), pois estive na altura da Páscoa e, nesta altura, estava tudo muito verde, como podem ver nas imagens.

 

 A forma como fardos de palha são feitos foi um dos detalhes que mais gostei de ver. Nas muitas planícies, era comum encontrar.

 

Os pastores, também é habitual encontrar um pouco por toda esta região.. tal como aqui nos Açores, vemos muitas vezes as vacas a pastar, a percorrer as estradas da ilha nas mudanças de pastagens, mas aqui, na Roménia, vemos muito as ovelhas e, acreditem... cheguei a ver porcos a pastar!!!

 

 

Aqui, neste local, são feitas cerimónias religiosas para festejar a Páscoa. Na Roménia, tudo diferente do habitual, com uma missa campal à noite, com milhares de pessoas e com a população a benzer alguns bens (comidas, etc), no decorrer da festa.

GOPR6041.JPG

 

 

Outro local que adorei visitar (e não, não sou daquelas pessoas que gostam de visitar/fotografar cemitérios), foi Merry Cemetery (Sapânta), em que as campas são decoradas de forma completamente diferentes do que se vê noutro cemitério... Geralmente, apresentam a pessoa que morreu, com determinado texto (e imagem a companhar), com dizeres a respeito da mesma (algumas vezes, com humor à mistura, inclusive, a falar sobre o que levou à morte da mesma).

No caso abaixo, como vêem, foi uma criança que, segundo a imagem, já nos diz como "encontrou" a morte: atropelamento.

 

Ou outro cemitério, que mais parecia um jardim (por estar muito disperso) e, claro está... por ter também uns "clientes" frequentes: galinhas/galos!

 

Em termos de estadia, ficamos em pensões durante os 2/3 dias que passamos por lá, em diferentes zonas, pois temos de andar muito carro e, falando de custos, não foi nada de especial tendo em conta o nível de vida lá. Pensões extremamente bem arranjadas, a rondar os 20€.

GOPR5755.JPG.jpg

 

Espero que tenham gostado!

Sintam-se à vontade para alguma questão.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:10

Rabo de Peixe

por Nuno França, em 13.02.17

Rabo de Peixe, uma vila/freguesia do concelho da Ribeira Grande, ilha de São Miguel, nos Açores.

É uma vila que marca pela diferença, mais não seja pelo facto de ser uma vila em que a população tem como ganha-pão principal, a pesca. Sendo uma vila piscatória, motivos fotográficos são imensos, desde o óbvio, motivos relacionados com a pesca, até a arte urbana, que deu outra vida à vila, através da arte de Bordalo II e Vhils (no âmbito do festival de arte urbana Walk&Talk Azores) e, principalmente, este último, que teve um impulso enorme na sua carreira com estas obras que fez por cá.

 

  

 

 Ao chegarem a Rabo de Peixe, de máquina em punho, não tendo como primeira opção fotografar as pessoas, garanto-vos que irão ser abordados de forma humilde pelos moradores e, logo aí, ganham novos motivos fotográficos. Foi o que aconteceu comigo... logo aí, ficamos com tema de conversa e não levam a mal as nossas fotografias. Tudo depende da abordabem. 

fotografia.JPG

 Para terminar, na minha recente visita a Rabo de Peixe, encontrei um grupo de crianças/jovens a jogar futebol, imagine-se onde, precisamente, no porto de pescas, num final de tarde de Inverno, como se vê, com um bonito dia de sol! Felizmente não está sempre a chover, como muitos pensam. :)

A fotografia foi feita com o telemóvel, visto que a minha máquina fotográfica está avariada. :(

16602784_1465450416812971_1011876518119928297_n.jp

 

Espero que gostem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:46

O ilhéu

por Nuno França, em 03.02.17

O que é viver numa ilha?

Sei que para muitas pessoas deve ser impensável viver numa ilha, estar rodeado por mar, a sensação de isolamento, mas para mim, penso que é tudo uma questão de hábito. Para mim, ilhéu, adoro a sensação de estar a percorrer a ilha e, na maior parte das situações, conseguir ver mar, sentir que sou parte daquele "bocado" de terra no meio do Oceano Atlântico.

Em contrapartida, a primeira vez que viajei para o centro da Europa, senti precisamente aquela sensação de estranheza, de quem olha para o horizonte e só vê edifícios ou paisagem, sem ter o mar por perto... foi realmente estranho! Por exemplo, sinto-me um pouco como uma pessoa do interior de um país que depois chega a uma ilha e sente que fica "preso"... no meu caso, senti a falta do imenso mar que nos "isola".

Tudo isto, para introduzir esta fotografia que adoro, precisamente numa das estradas em que vemos sempre mar, praticamente durante quase 30 quilómetros.

img_5349.jpg

 

Na fotografia, o ilhéu dos Mosteiros, freguesia dos Mosteiros, em que se vêem outros 3 rochedos mais junto à costa.

Lá em baixo, uma pequena praia, com vista directa para aqueles rochedos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Explorando a Roménia (parte 1)

por Nuno França, em 01.02.17

Roménia: um país que vale a pena visitar!

2014 foi o ano em que meti na ideia que, daí para a frente, teria de fazer, pelo menos, uma viagem por ano. E então, comecei por este país, devido ao facto de ter uma amiga local, que foi uma guia espectacular.

Visitamos o país de uma ponta à outra, durante 2 semanas.

Bucareste

 

A parte da viagem propriamente dita até ao país, foi o que me fez gastar mais dinheiro (quase 500€). Isto de viver numa ilha tinha (agora temos as low-cost) destas coisas, implicava apanhar um voo para Lisboa e desta para Bucareste. No geral, a estadia (por ter local onde ficar em grande parte dos dias) ficou em menos de metade do valor acima referido.

 

É um país onde o custo de vida é baixo e, para um português com um ordenado mínimo, dá perfeitamente para umas férias por lá sem grande preocupação (desde que se escolham os locais certos).

 

Cluj-Napoca

 Cluj-Napoca

 

País recheado de paisagens magníficas, com muitas ovelhas, a animar ainda mais cada paisagem.

Ah... se nos Açores temos vacas espalhadas por tudo o que é pastagem, na Roménia cheguei a encontrar (para além das ovelhas), porcos e galinhas em pastagens!

 

Uma experiência fantástica foi esta (nas 2 fotos seguintes), em que tive a oportunidade de fazer um passeio num comboio a vapor, um dos poucos na Europa que ainda circula pelos caminhos de ferro. Mocăniță, o nome mais conhecido, fica na região de Maramures, outro dos locais cheios de paisagens deslumbrantes.

img_9613_net.jpg

img_9682_net.jpg

 

Espero que tenham gostado.

Mais fotos em breve. :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:55

Apanha de Chá - Porto Formoso

por Nuno França, em 31.01.17

Olá!

Inicio este blogue com intuito de mostrar o meu trabalho na área da Fotografia - paixão que tenho desde criança e que se intensificou quando tive como oferta uma máquina digital, já lá vai o ano de 2003. Desde então, saio para fotografar, de tudo um pouco.

 

Para começar, partilho convosco uma festa que temos por cá, na ilha de São Miguel (Açores), que se realiza todos os anos, no primeiro Sábado de Maio. Uma reconstituição histórica da apanha manual do chá, na fábrica do Porto Formoso, com trajes típicos, tudo à medida, como naquela época.

 

Comecei a acompanhar esta festa já há mais de 10 anos (sensivelmente na altura em que tive a minha primeira máquina digital), sem ter falhado mais do que 1 a 2 vezes, é interessante ver que, mesmo após a infância, muitos dos adolescentes ainda continuam a fazer parte desta festa.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.