Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Viagem pela ilha do Pico (Açores)

por Nuno França, em 27.09.17

A ilha do Pico, localizada no arquipélago dos Açores, grupo Central, é a segunda maior ilha do arquipélago (a seguir a São Miguel). E é reconhecida por dois pontos:

- Ilha das vinhas, com muita produção de vinho de qualidade e que é exportado para todo o Mundo;

- Montanha do Pico, que é o ponto mais alto de Portugal, com 2351 metros de altitude.

 

Aproximação à ilha do Pico (São Jorge vista do avião)

 

Decidimos ir de férias com estadia na ilha durante uma semana.

Chegados ao Pico, ficamos hospedados na Pousada de Juventude da ilha, em São Roque do Pico, porque tínhamos boas referências da mesma e então, a decisão foi fácil. Infelizmente, deixou muito a desejar, a começar pelo essencial, as camas/colchões, de má qualidade.

No dia da chegada (chegamos quase ao final da tarde), exploramos São Roque do Pico a pé, vila esta que é chamada de Capital do Turismo Rural, que fica voltada para norte e, se o tempo estiver bom, vemos a proximidade entre a ilha do Pico e a de São Jorge (15 km de distância). Há poucas horas na ilha, restava-nos escolher um local para jantarmos descansados e, se possível, com qualidade e vista para o mar. Ora, a vila como fica voltada para o mar e tudo se centra neste ponto, foi (quase) fácil encontrar sítio para comer. Chegamos à zona do Cais de São Roque, encontramos um restaurante e decidimos ficar por lá (próximo post será sobre as experiências gastronómicas, fiquem atentos!!).

 

Monumento alusivo à caça da baleia - São Roque do Pico

  

Optamos por alugar um carro durante 4 dias da nossa estadia e, no primeiro dia, como o tempo estava "ranhoso" (chuvinha miúda), decidimos dar a volta à ilha como que a fazer "reconhecimento", sempre pela estrada regional, parando em alguns miradouros, mas sem muito para ver, pois o tempo estava como estava.

S. Roque - Lajes Pico.png

 

Lajes do Pico - Madalena.png

 

Madalena - S. Roque.png

 

E as primeiras fotografias começaram a aparecer. As primeiras duas, no Miradouro existente no Parque Florestal da Praínha, com um fenómeno a que chamaram de Mistério da Praínha, devido a esta fajã lávica que se formou durante a erupão histórica de 1562/64.

GOPR7898.jpg

7.jpg

 

No mesmo parque, encontramos também esta casa, com uma atafona (moínho movido por força animal).

Casa com atafona

Casa típica com atafona

 
Resumidamente, no primeiro dia ficamos desiludidos por culpa das condições meteorológicas, pois havia chuva em algumas zonas por onde passamos no nosso "reconhecimento". Felizmente, melhorou e tivemos dias de sol para aproveitarmos as magníficas paisagens e para termos a sensação de proximidade entre as ilhas.

No segundo dia com carro, demos um "pulinho" à ilha do Faial (mas irei falar noutro post).

No terceiro dia de carro, aproveitamos o bom tempo para explorar a ilha e os locais mais altos com objectivo de observar as paisagens.

 

Na fotografia abaixo, vemos a ilha de São Jorge de ponta à outra.

2 (2).jpg

 

Abaixo, a Lagoa do Peixinho, com parte da ilha de São Jorge ao fundo (e lá na extremidade do lado direito de São Jorge, vemos um bocadinho da ilha Terceira!!).

3 (4).jpg

 

Aqui, estávamos a caminho da Casa da Montanha (local onde fazemos as inscrições para a subida à Montanha do Pico). Ao fundo, a ilha do Faial, com os ilhéus de nome "Ilhéu em pé e ilhéu deitado".

3 (14).jpg

 

Já lá em cima na Casa da Montanha, um grupo de aventureiros acabava a sua descida. Como podem ver, não é fácil ter-se a sorte de se ver a montanha totalmente descoberta... aqui, mais uma prova disso...

3 (17).jpg

 

Ilha de São Jorge ao fundo, vista de outra zona da ilha.

GOPR7943.jpg

GOPR7948.jpg

GOPR7950.jpg

 

A montanha, finalmente descoberta, no penúltimo dia que tínhamos carro.

GOPR7951.jpg

 

A zona de banhos do Pocinho, com vista privilegiada para a ilha do Faial.

IMG_0737.jpg

 

1 (5).jpg

 

 

IMG_0740_redimensao.jpg

IMG_0941_redimensao.jpg

 

Abaixo, o Cella Bar, que fica localizado na Madalena do Pico, bar este que foi o vencedor do Building of the Year 2016. Também jantamos lá, pelo que depois irão poder ver o post sobre a gastronomia.

IMG_0946.jpg

4 (8).jpg

IMG_0943.jpg

 

IMG_0939_redimensao.jpg

IMG_0878_redimensao.jpgIMG_0892_redimensao.jpg

IMG_0896_redimensao.jpg

 

 

IMG_0891.jpg

IMG_0915.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:48

Elevador de Santa Justa, Lisboa

por Nuno França, em 13.05.17

fotografia 3.JPG

 

Passeando pelas ruas de Lisboa, decidimos visitar o Elevador de Santa Justa, local este que já não visitava há muitos anos e, da última vez, tive imensas dificuldades em subir, devido às vertigens. Elevador com cabine antiga, em madeira e acessórios em latão, foi bom relembrar, pois não me lembrava detalhadamente dos pormenores, devido à primeira experiência que custou bastante, sobretudo na subida à torre.

 

Uma belíssima vista do seu topo, num dia de sol fantástico.


Após a visita, decidi fazer uma pesquisa de algo que há muitos anos ouvia dizer, que era o facto de o seu engenheiro, Raoul Mesnier du Ponsard ser, supostamente, um dos discípulos de Gustave Eiffel... Meio dito, meio certo, realmente os populares afirmam tal coisa, mas não há provas concretas acerca da possível ligação entre os dois. 

 

Aconselho vivamente a visita, mesmo que haja algumas vertigens pelo meio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:32

À pesca de algo

por Nuno França, em 18.03.17

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:49

Ilhéu

por Nuno França, em 13.03.17

A ilha do Corvo ao fundo, a mais pequena do arquipélago dos Açores, observada da ilha vizinha, Flores.

IMG_7188 (Copy).jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:02

Sete Cidades

por Nuno França, em 08.03.17

Mais uma visita ao "baú", pelas razões que expliquei no post anterior.

 

Para aqueles que nunca vieram aos Açores (em concreto, à ilha de São Miguel), esta é uma das maravilhas de Portugal, quer queiram, quer não. Lagoa das Sete Cidades, com um dia de céu limpo, com chuva, nevoeiro, é sempre um local mágico! Uma paisagem magnífica, de cortar a respiração.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Acima, a fotografia típica da Lagoa das Sete Cidades, com as lagoas azul e verde, num magnífico dia de sol. Abaixo, numa manhã do Azores Airlines Rallye, edição de 2015, primeira vez em que fui para o lado oposto da lagoa e descobri esta nova perspectiva (na minha opinião, mais bonita).

 

 

 

 

 

E aqui, o que parece impossível, fazerem o troço das Cumeeiras (montanhas à volta da cratera) a alta velocidade, com nevoeiro e o abismo mesmo ao lado.

Exactamente o mesmo spot da fotografia acima, mas relativo a 2016.

 

 

A prova de que é um troço traiçoeiro e uma nota falha rapidamente, foi este momento, arrepiante (no mesmo troço, em 2014). E a lagoa ali no lado direito da fotografia.

 
Resumindo, uma freguesia espectacular, com o principal spot a ser a lagoa, que merece uma visita alargada, porque, de um momento para o outro, podemos passar de um dia sombrio para um dia espectacular, como algumas das imagens que partilhei no post.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:07

Rabo de Peixe

por Nuno França, em 13.02.17

Rabo de Peixe, uma vila/freguesia do concelho da Ribeira Grande, ilha de São Miguel, nos Açores.

É uma vila que marca pela diferença, mais não seja pelo facto de ser uma vila em que a população tem como ganha-pão principal, a pesca. Sendo uma vila piscatória, motivos fotográficos são imensos, desde o óbvio, motivos relacionados com a pesca, até a arte urbana, que deu outra vida à vila, através da arte de Bordalo II e Vhils (no âmbito do festival de arte urbana Walk&Talk Azores) e, principalmente, este último, que teve um impulso enorme na sua carreira com estas obras que fez por cá.

 

  

 

 Ao chegarem a Rabo de Peixe, de máquina em punho, não tendo como primeira opção fotografar as pessoas, garanto-vos que irão ser abordados de forma humilde pelos moradores e, logo aí, ganham novos motivos fotográficos. Foi o que aconteceu comigo... logo aí, ficamos com tema de conversa e não levam a mal as nossas fotografias. Tudo depende da abordabem. 

fotografia.JPG

 Para terminar, na minha recente visita a Rabo de Peixe, encontrei um grupo de crianças/jovens a jogar futebol, imagine-se onde, precisamente, no porto de pescas, num final de tarde de Inverno, como se vê, com um bonito dia de sol! Felizmente não está sempre a chover, como muitos pensam. :)

A fotografia foi feita com o telemóvel, visto que a minha máquina fotográfica está avariada. :(

16602784_1465450416812971_1011876518119928297_n.jp

 

Espero que gostem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:46


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.